Páginas Sobre

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Biblioteca do Autor

Abaixo algumas fotos da biblioteca de Gerson Machado de Avillez e alguns dos principais livros de sua coleção e as do qual é autor. Todos os livros são originais; os de sua autoria são legitimados por lei, registrados no Escritório de Direitos Autorais da FBN (Fundação Biblioteca Nacional) sob a lei de direitos autorais 9.610. Não aceite imitações ou plágios. rs

Gerson Avillez no seu canto do saber.

O labirinto predileto do autor.

sábado, 17 de junho de 2017

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Conto das Eras de um Mundo Fantástico

Abaixo a sinopse de dois contos que serão agregados no próximo projeto literário de antologia, 'Conto das Eras de um Mundo Fantástico', de Gerson Machado de Avillez. Uma série de contos que utilizando do conhecimentos antigos como reais, ou épicos fantásticos a exemplo da Terra Plana, desenrola situações inusitadas. O projeto em parte será uma ironia as limitações do saber humano enquanto cria situações que hoje seriam impossíveis. Vejam abaixo:

A Torre do Tempo
 Preso num cidade que é um labirinto redondo o qual todos os doze portões de saída parecem fechados resolve enfrentar os desafios subindo a torre de seu centro para perceber que a cidade funciona como um gigante relógio de sol em que cada portão sendo equivalente a uma hora se abre apenas quando está sob a sombra da torre.

Os Limites da Terra

Um homem viaja para os limites da Terra que acredita ser plana e o que descobre fica surpreso ao descobrir o que há além, do outro lado.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Capas Preliminares de Cronomancer

Segue abaixo a capa do novo projeto literário de antologia de Gerson Machado de Avillez, Cronomancer. As capas a seguir estão ainda na fase de testes sendo passíveis de alterações e eventuais erros, clique nas imagens para ampliar.



terça-feira, 30 de maio de 2017

Sonhos Lúcidos?

Sempre tive sonhos desconcertantes, muitos dos quais inspiraram contos e livros meus ao transmitirem ideias e enredos completos, não por menos termino o terceiro conto totalmente inspirado num sonho meu, mas poucos sonhos superaram o último tido por mim. O sonho da madrugada de 29 de maio para o dia 30 de 2017 dentre outras coisas era de que estava saindo do meu próprio corpo ao dormir pra matar pessoas que me faziam mal ou queriam isto fazer. O mais curioso é que sabia que estava dormindo não somente no sonho que sonhava dormir, mas no dormir de verdade e, de alguma forma achava ver meu rosto de fora de meu corpo dormindo, ou seja, na verdade os sonhos se misturaram aos sonhos de que estava dormindo me trazendo certa dificuldade em discernir o dormir sonhado ou dormir real. O incrível é que matava estas pessoas de modo lúdico, como se influindo num substrato do inconsciente que afetava a realidade. Por isso considero os sonhos a realidade virtual da mente.

O mais incrível é que estes sonhos muitas vezes ocorrem fora do estágio REM do sono, algumas casos tem início ao suave adormecer do breve fechar dos olhos que dá lugar a uma profusão de imagens inicialmente sem nexo, mas tão logo a sequência de imagens parece gradualmente ganhar coerência e coesão. Não acredito que seja o mero organizar de memórias pois muitas dessas imagens não tem a menor relação com o que vivi no dia antes de dormir. Ao perguntar a um médico sobre essa condição, o psiquiatra afirmou que a ciência não tem respostas para tudo, especialmente para a mente humana. Não por menos ao começar a ler a autobiografia de Nikola Tesla fiquei estupefato ao descobrir que ele relatava a mesma coisa nas poucas horas de sono que tinha. Talvez seja alguma síndrome incomum ainda não descoberta oficialmente pela ciência da mente, algo que pode dotar a mente de algumas habilidades incomuns ou vice-versa. Algo que relato em meu livro de memórias.

Durmo muito mais que Nikola Tesla o qual sou fã, e sobretudo pareço ser profundamente afetado durante o dia por uma noite má dormida de sono, de dores de cabeça a falta de concentração, tudo em apenas um dia. O fato é que com este último sonho acordei com medo de que tivesse matado alguém dormindo, mas em poucos segundos adormeci novamente com o que aparentava ser o mesmo sonho, ou sonhei que acordei e voltei a dormir num sonho dentro do outro.

A Visão Pessoal do Autor da Teoria do Tudo

A ideia do livro (Fantasmas do Futuro) proposta similarmente noutros, parte da hipótese de que as singularidades permitem que se saia das dimensões de nosso universo ao romper o fluxo do tempo tornando possível se alcançar o passado, mas sempre em termos do multiverso pois o passado é impossível de se alterar sem com que, na verdade, crie um desvio a um universo paralelo onde a "alteração" exista. Parte dos fenômenos que indicam essa possibilidade podem ser sentidos na mecânica quântica o qual considero uma manifesta-se de quase singularidade expressa no limiar e fronteira de nosso universo ao além. Daí o comportamento atípico de particular que parecem literalmente sair do universo tangível dando veracidade a ideia de que o vácuo quântico não é tão vazio assim, tal como fenômenos do emaranhamento quântico e a incerteza de Heinsenberg indicando que ocorre uma interação entre universos a esse nível de modo a influir na randômica entrópica do mesmo pois por uma relação percentual o que tem a possibilidade de 1% ocorrer aqui, ocorrerá noutro universo caso o nosso esteja configurado entre os demais 99%. Se o que não acontece aqui acontece noutro universo logo há uma relação entre eles ainda que indireta, ou seja, o caos de todos universos estaria entrelaçados em algum grau.  A relação estatística consiste em indicar a relação caótica do universo com o multiverso a fomentar a ideia de sorte e destino.

    Ao influir no fluxo do tempo e consequentemente do caos podem emergir padrões da configuração de universos a exemplo das sincronicidades o qual determinadas frequências formam não somente padrões no espaço, mas também no tempo. Tais ideias são parte do conjunto de hipóteses da Teoria Ressoante Ondular.
 
    Certa vez um gênio, o britânico Lord Rayleigh, postulou um fenômeno bizarro caso a velocidade do som fosse invariável e fixa, uma espécie de reversão dele seria possível caso superasse sua velocidade de modo que se poderia ver ao contrário. Mais atualmente os cientistas atestam isso não para o som, mas qualquer fenômeno de onda. Isso permitirá o desenvolvimento de câmeras com super visões capazes do que nenhum câmera é capaz uma vez que a luz também é onda, permitindo a Reversão de luz. Como assim postulo que o tempo mesmo como dimensão ele se comporte como ondas isso também seria aplicável ao tempo!
 
    Os cientistas utilizam a luz como paradigma para o tempo e sua possibilidade de viajar através dele, porém, ele apenas é o porteiro, mesmo o tempo lhe dita o ritmo. Creio que a ausência falseabilidade da incerteza de Heinsenberg consiste no fato de que os espaço e tempo são conectados, mas distintos, por isso não se pode identificar a posição e velocidade de uma partícula ao mesmo tempo por seu afastamento nos limites do universo, aqui a nível macro. Similarmente isso pode nutrir aspectos de relação com o Efeito Observador - recentemente comprovado - pois as propriedades da luz se distorcem, de acordo com minha teoria, em tais limites. Ou seja, se o tempo é ondular igualmente fenômenos parecidos seriam observados o qual o prenúncio pode ser percebido, sem que se saiba na fenomenologia quântica, falo da reversão do tempo!

Trecho dos Apêndices de 'Fantasmas do Futuro' de Gerson Avillez.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Conto 'O Poço' na 3ª edição de Litera Livre


O conto 'O Poço' de minha autoria selecionado entre 629 trabalhos para a 3ª edição da revista digital Litera Livre, página 74. Baixe já seu exemplar clicando aqui.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

O Futuro Existe!

O trecho a seguir está contido no começo do projeto literário 'Fantasmas do Futuro' como um indicativo filosófico dos acontecimentos posteriores na novela. Proferido numa palestra de apresentação de um dos personagens centrais do livro explana algumas das ideias centrais do livro e das hipóteses postuladas pelo autor ao longo de seus livros. Fragmentos das ideias propostas salpicam a toda obra do autor ao discutir questões comuns a Filosofia assim como da ciência

"O futuro existe. Não podemos prever com precisão a extensão de uma tempestade de verão, mas podemos prever as estações do ano onde ela pode se inserir. A previsão do tempo é o mais perto que a ciência chega de ver o futuro, na realidade prevendo variáveis. Similarmente a série de elementos possíveis dentro da configuração de nosso livre-arbítrio que exprime variáveis e nuances não afetam determinado destino final, pois independente do que acontecer sabemos que após o domingo virá a segunda-feira. Similarmente a uma corda que ao ser esticada cria-se variáveis, mas não altera o destino final e começo, o caos a curto prazo é intenso e imprevisível, mas em longo alcance atinge aspectos cósmicos de harmonia e equilíbrio similarmente ao dissipar de ondas num rio que nunca muda facilmente seu curso. Tanto no espaço como no tempo o dissipar do caos em ondas no curto espaço e tempo é volátil, no longo dissipador tornando ao destino original e inexorável o que indica que o leito existe, ainda que toda água do rio não tenha atingido seu destino definida graças a linearidade imposta pela seta do tempo justamente determinante do inexorável. Como no espaço existe o atrás e o a frente, o tempo é uma via completa o qual a extensão e variáveis são determinadas pela entropia. Alguns pontos desse rio são mais turbulentos de modo que a correnteza da seta do tempo é inexorável outros as ondas podem, no entanto, ir a outro sentido pois torna-se possível romper a 'correnteza do tempo' e seu constante rumo ao futuro."

A trama gira em torno da apresentação experimental de uma possível viagem no tempo que ao dar errado pode por em jogo muito mais que a empresa que a produz, mas o próprio curso da humanidade ao supostamente não completar um destino.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Deum Conveniendum: Temas Polêmicos da Bíblia

 Como teólogo cristão Gerson Avillez desenvolve um projeto literário de não ficção o qual discute seus principais ponto de vistas teológicos e bíblicos, dentre eles alguns dos temas  mais polêmicos como o machismo na igreja tal como o homossexualismo, sob a perspectiva teológica. Leiam abaixo!

Dentre os temas mais polêmicos da cristandade seria a do homossexualismo, prática o que primeiro devemos deixar claro, Deus não condena o homossexual, mas a prática, assim como o cristão deve amar o gay, mas não o homossexualismo dele. O que se diz é que o ser humano já está condenado desde sua queda do Éden restando a ele buscar a redenção para ser salvo. Os motivos da condenação espiritual dessa prática tenha raízes na demonologia, há demônios e deuses pagãos que promoviam a prática na antiguidade, como Baco, Dionísio e outros demônios a figuras mais atuais que dizem ser o próprio Satanás. Por isto aconselho a quem é gay que não escolha o cristianismo, pois os dois são incompatíveis. Seria como ser umbandistas e crer no batismo com espírito Santo, mas como se sabe há muitos casos de terreiro o pai de Santo se torna homossexual por causa da entidade, mas nunca pelo Espírito Santo.

Daí muitas seitas e religiões defendem a prática da homossexualidade, não o homossexual, por ser uma questão de doutrina ou crença enquanto o cristão deve ser ao contrário, defender o homossexual, mas não o homossexualismo. Já que uma vez que Deus não gosta de compartilhar sua adoração com outras entidades não é sensato, mesmo porque algumas adorações são personificadas muitas vezes não somente pelo ritual formal, mas pelas práticas cotidianas, e isto vale tanto para o cristianismo quanto outras religiões, daí elas serem norteadoras do comportamento e moral tornando difícil dissociar cultura de doutrina. Seria como uma guerra espiritual o qual deuses disputam a humanidade por seu comportamento, cada qual associando a um destes. Mas há comportamentos neutros que quando não se adequam a deuses e demônios opostos ao Deus bíblico não seria espiritualmente proibitivo.

Por decorrência disto muito a igreja como centro conservatório tem sido acusada em sua condição patriarcal de machista. Frequente alvo de grupos feministas eventualmente alguns abusos realmente são perpetrados pela decadência moral da instituição além de um modelo que evidentemente coloca o homem com privilégios acima demonstrando-se defasado em relação a sociedade atual.

O contexto cultural em que se insere a bíblia no período em que fora escrita é da androcêntrica permeada por quase toda humanidade da antiguidade, não sendo algo exclusivo da sociedade de Israel. Porém, enquanto os fatores culturais eram passados por histórias bíblicas, doutrina e cultura se mesclam ainda que a exemplo dos dez mandamentos não se faça quaisquer distinções entre gêneros sexuais. Por isso deve se separar a palavra de Deus a do autor que está inserido em determinada cultura ainda que este transmita a palavra dEle, de modo a tornar possível discernir cultura de doutrina, caso contrário as mulheres teriam que cobrir as cabeças até hoje dentro das igrejas.

A igreja fora fundada dentro dessa realidade culturalmente machista de modo a reproduzir os aspectos do homem como centro poder humano mesclado as doutrinas, ou seja, a instituição religiosa reproduz parte da cultura da época em que foi fundada.

Trecho de  'Deum Conveniendum' de Gerson Machado de Avillez

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Autodidata Versus Academicismo

Ainda que tenha domínio de conhecimentos sobre história e algo de física meu viés sempre fora mais restrito da filosofia. Comecei como autodidata nos meus estudos e práticas de produção literária, forma que creio ser correta pois oferece autonomia de uma visão mais ampla e customizada por interdisciplinaridades livres. Mas a vantagens da instrução formal e acadêmica é para lhe apurar o senso crítico e servindo-lhe ferramentas adequadas ao pensamento e a pesquisa de modo a dilapidar seu talento fomentado pela ética acadêmica assim como o conhecimento anteriormente adquirido. Porém, no sentido do conhecimento adquirido no meio acadêmico é restritivo, ou seja, estreitado por uma especialização especificada que é oposta a visão do autodidata ao servir normalmente ao interesse exclusivo do mercado de trabalho, não interesses artísticos e filosóficos pessoais. O ideal seria não deixar que o academicismo ofusque a sensibilidade criativa original anteriores as certezas acadêmicas mas lhe sirva para suas investigações do mesmo dominando as palavras em seu significado, e suplantando o senso comum e achismos derivados do mesmo.

Uma cosmogonia pessoal vai muito além das fronteiras acadêmicas, mas por concepções de complexidades irredutíveis somente compreendidas por uma visão holística, de modo que o viés autodidata ainda me é indispensável nas investigações não reducionistas da filosofia em sua cerne original, mas crítica pela problematização da humanidade, sociedade e do cosmos.

O objetivo de minhas obras que determinam como resultado, sobretudo, de minha experiência de vida como fonte de inspiração seria a maior tentativa de não somente responder anseios a dúvidas mas dar significância, valor e sentido para vidas a começar pela minha própria. Usar da criatividade como navegação além da realidade atrás de respostas e verdades que a maioria das vezes a realidade do aparente não fornece. Verdades filosóficas que são assim como terapia ao próprio autor ao definir claramente elementos. Minha fonte de água no deserto de abominações desiguais e iniquidades.

Pra discernir com clareza, reclamar e dizer "ai" ou dar esporro, criticar a uma analise criteriosa e avaliativa de algo. Mas quando essa gente nem saber diferenciar os termos e o que significam como irão saber o que se quer falam?

"Os perdedores, assim como os autodidatas, sempre têm conhecimentos mais vastos que os vencedores, e quem quiser vencer deverá saber uma única coisa e não perder tempo sabendo todas, o prazer da erudição é reservado aos perdedores."
Umberto Eco Número Zero

sexta-feira, 28 de abril de 2017

E de EXCLUSÃO

A desigualdade é um dos modos prediletos que os poderosos veem para manter sua soberania de modo que qualquer coisa o qual subjugue, subtraia e diminua desafetos, indesejados e críticos é utilizado. Dentre eles a exclusão é uma ferramenta eficaz para se atingir esses objetivos e garantir que determinados requisitos, luxos e condições lhe sejam exclusivos potencializando assim seu poder. Não por menos o termo "exclusivo" remete ao mesmo radical comum de exclusão a exemplo de condições de acesso VIP e restrito. A restrição aceptiva serve a interesses sempre elitistas de desigualdade por meio de uma hermetização selecionada separando, segregado e discriminado como "inferiores" os quais não devem ter acesso a determinado bem, serviço ou oportunidade. Assim as portas se fecham para uns e se abrem apenas para outros em desigualdade.

Assim nada mais excludente do que fechar as portas aos indesejados, quer portas de trabalhos dignos, de justiça social, reconhecimento ou até mesmo de um casamento, o que é contrário aos preceitos básicos da sociedade aberta e livre em seu Estado Democrático de direito ignorando a aplicação imparcial de uma constituição que dê oportunidades iguais a todos, o que justamente a exclusão é contra. O ódio elitista anseia manter de fora seus alvos de frequentes atacas de inferiorizarão.

Outra maneira de excluir fechando as portas é torna-las pedágios colocando preços inacessíveis e proibitivos a uns, novamente em desigualdade. Sinceramente não sei se alguém percebeu isso antes, mas o fato de ver até mesmo a esquerda fazendo-a é muito suspeito, no mínimo. Noto isto há anos ao fecharem insistentemente as portas para que publique livros e muito mais coisas, não há justificativas morais a não ser o desejo de poder.

Manifesta-se então todos os cacoetes taxativos, ofensivos e retrógrados do passado para desqualificar e diminuir e se possível buscando anular minha produção intelectual de anos - que particularmente influiu mais em seis anos do que de alguns em 50 ainda que por vias não legitimadas e assim não reconhecidas - atribuindo tudo que era comum os grupos excluídos e marginalizados daquele tempo como os analfabetos, loucos e desempregados sob forma depreciativa de "vagabundos".

Profecias Versus Ficção Científica

Já vi em minhas leituras muitos autores de ficção científica terem acertos precisos que deixassem, muitas vezes, os maiores videntes comendo poeira. Mesmo desenhos animados como Os Simpsons isso fazem, minhas obras similarmente não fizeram diferente. Muitas profecias são ótimos argumentos de ficção científica e muita ficção científica são ótimas profecias ao proferir corretamente sobre o futuro. A distinção entre a previsão especulativa ou profética as vezes é tênue assim como os planos e desejos alheios supostamente em nome de Deus sob a fachada de profecia. Por isso defendo a hipótese de que os aspectos filosóficos que lhe são semelhantes possam unir fé e ciência, pois noto vários pontos em comum entre elas ainda que em sua superfície e método sejam contrárias.
Abaixo separo uma cronológica supostamente profética de uma vidente chamada Baba Vanga, quais são as diferenças para uma ficção científica?

2014 – A maioria das pessoas irão sofrer de câncer de pele e outras doenças de pele (como resultado da guerra química).
2016 – A Europa estará quase vazia.
2018 – A China se torna a nova potência mundial.
2023 – A órbita da Terra é ligeiramente alterada.
2025 – A Europa ainda é muito pouco povoada.
2028 – Desenvolvimento de uma nova fonte de energia. (Provavelmente uma reação termonuclear controlada) Fome lentamente deixa de ser um problema. Nave pilotada para Vênus.
2033 – O gelo polar está derretendo. Grande elevação do nível do mar. (Isso já pode-se dizer que começou).
2043 – Economia do mundo é próspera. Na Europa, os Muçulmanos dominam.
2046 – Qualquer órgão pode ser produzido em massa. Troca de órgãos torna-se o método favorito de tratamento. (seriam eles produzido por clonagens?)
2066 – Durante o ataque em Roma (que está sob o controle dos muçulmanos, os EUA usam uma nova arma – a mudança climática. Congelamento rápido.
2076 – Comunismo domina.
2084 – Restauração da natureza.
2088 – Uma nova doença – O envelhecimento rápido.
2097 – O envelhecimento rápido é curado.
2100 – Sol artificial ilumina lado escuro da Terra.
2111 – As pessoas se tornam robôs. (e já não é assim?)
2123 – Guerra entre as pequenas nações. As grandes não intervêm.
2125 – Na Hungria, sinais do espaço são recebidos.
2130 – Colônias no fundo do mar.
2164 – Animais se tornam meio-humanos.
2167 – Surge uma nova religião.
2170 – Grande seca.
2183 – Colônia em Marte torna-se uma nação nuclear e pede independência da Terra. (da mesma forma que os EUA fez com a Inglaterra)
2187 – Duas grandes erupções vulcânicas são impedidas com sucesso.
2195 – Colônias marítimas evoluídas, comida e energia em abundância.
2196 – Completa miscigenação entre asiáticos e europeus.
2201 – Reações termonucleares do Sol abrandaram. Temperaturas baixam
2221 – Na busca de vida alienígena, os seres humanos se envolvem com algo muito horrível.
2256 – Nave trás a Terra uma doença terrível.
2262 – Órbita dos planetas começa a mudar progressivamente. Marte está sob ameaça de ser atingido por cometas.
2271 – Bases das constantes físicas são modificadas. Leis da física mudam.
2273 – Mistura entre asiáticos, caucasianos e negros. Nova “raça” surge.
2279 – Poder derivado do nada. (provavelmente do vazio ou um buraco negro).
2288 – Viagem pelo tempo é inventada. Novos contatos com alienígenas.
2291 – Mudança no Sol, que volta a brilhar plenamente.
2296 – Forte erupção solar. Mudança da força da gravidade. Antigas estações espaciais e satélites começam a cair.
2299 – Na França, um movimento de guerrilheiros surge contra o Islamismo.
2302 – Importantes leis e segredos do universo são revelados.
2304 – Segredos da Lua revelados.
2341 – Algo terrível aproxima-se da Terra vindo do espaço.
2354 – Acidente em um Sol artificial leva a seca.
2371 – A grande fome.
2378 – Nova raça crescendo rapidamente.
2480 – Dois sois artificiais colidem. Terra em crepúsculo.
3005 – Guerra em Marte. Mudança na trajetória dos planetas.
3010 – Cometa acerta a Lua. Em volta da Terra surge um anel de pedras e poeira.
3797 – A essa altura, tudo que vive na Terra morre. Mas os seres humanos são capazes de colocar no essencial para o início de uma nova vida em um novo sistema solar.
3803 – O novo planeta é preenchido aos poucos. Há pouco contato entre as pessoas. O clima diferente do planeta altera o organismo das pessoas – elas sofrem mutações.
3805 – Guerra entre os humanos em busca de recursos. Mais da metade das pessoas morrem.
3815 – A Guerra termina.
3854 – O avanço da civilização para. Pessoas vivem como bestas.
3871 – Novo profeta ensina as pessoas valores morais e religiosos.
3874 – Novo profeta recebe ajuda de toda a população. Uma nova igreja é organizada.
3878 – Igreja ensina às novas pessoas as ciências esquecidas. (Novo cristianismo?)
4302 – Novas cidades crescem no mundo. A nova igreja desenvolve nova tecnologia e ciência.
4302 – Desenvolvimento da ciência. Cientistas descobrem tudo sobre o impacto das doenças no organismo.
4304 – Encontrado um caminho de vencer qualquer doença.
4308 – Por conta da mutação nas pessoas, o homem usa mais de 34% de seus cérebros e perdem, completamente, toda noção de maldade ou ódio.
4509 – O homem finalmente chega o nível de desenvolver formas de contato com Deus.
4599 – Humanidade alcança a imortalidade.
4674 – Desenvolvimento da civilização chega ao seu topo. O número de pessoas vivendo em diferentes planetas passa de 340 bilhões. Começam a parecer alienígenas.
5076 – Chega-se ao limite do universo. A partir dali, ninguém conhece.
5078 – A decisão de ultrapassar o limite do universo. Mais de 40% da população é contra isso.
5079 – Fim do mundo.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Os Padrões De Pensamento Como Modo de Controle

Abaixo uma breve dissertação sobre as origens histórias de alguns dos ismos do pensamento ocidental e como são utilizados como uma maneira de controle do pensamento coletivo. O texto é parte integrante do livro 'Criptohistória'.

O grande inimigo declarado das sociedades secretas ao longo dos séculos fora a instituição católica ainda que tenha em dado momento prestado um serviço em influenciar profundamente tais sociedades secretas, especialmente a maçonaria, com os templários. Mas o grande ataque teve início não na chamada idade das trevas, mas justamente com a derrocada dos templários que de tão poderosos rivalizaram o poder católico de seu tempo algo posteriormente seguido pela inquisição que marginalizou por completo tais ordens e sociedades secretas. Sabemos que mesmo sendo fortemente possível que de fato a Ordem dos Cavaleiros Empobrecidos de Cristo cometessem uma série de heresias o motivo central seria seu poder pois mesmo os jesuítas - de onde veio o fundador dos Illuminatti - lá tinham seus segredos tenebrosos e conhecimentos proibidos detidos em suas livrarias secretas.

Naturalmente que mesmo após a destruição dos templários houve uma vingança direta sob forma de maldição sob Felipe, o belo, mas nos séculos posteriores uma série de ondas e movimentos visavam no mínimo fragmentar a igreja por divisão a enfraquecendo, e o primeiro deles fora a reforma protestante em 1517.

Alguns rumores indicam até mesmo o acolhimento de Lutero pela ordem Rosa-cruz como poder motor por de trás da origem do protestantismo. Não se trata, todavia, da concordância das correntes de doutrinas do equivalente grupo com o protestantismo, mas sim uma questão de oportunismo de atacar seu maior inimigo histórico, o catolicismo. Tais alianças suspeitas se seguem ao longo dos tempos de modo tendencioso e assim visivelmente por meras questões de poder.
Mesmo a ideia do livre pensamento surgiu na revolução francesa em oposição ao pensamento da igreja e hoje se personifica intensamente como sinônimo da filosofia maçônica, por isso é um contrassenso um líder cristão ser livre-pensador. Porém, mesmo as raízes do liberalismo são similarmente em oposição a igreja no mesmo período, mas muitos que se professam cristãos se dizem liberais hoje. Naturalmente que liberalismo e livre-pensamento apesar de terem as mesmas origens não são sinônimos, mas a mescla de elementos e as misturas posteriores ao ápice da influência oculta das sociedades secretas que fora a Revolução Francesa parecem denotar as intenções e influências ocultas posteriores a mesma.

A verdade é que essas correntes de pensamentos e políticas vem sido manipuladas desde que esse famigerado período que a seu tempo teve até alguns pontos positivos, mas considero uma armadilha adequar-se cegamente a eles pois mesmo a noção de direita e esquerda advém dos tribunais franceses com as alegações da burguesia (esquerda) contra as elites da igreja e monarquia (direita) da época. Notamos hoje que mesmo o conceito de direita e esquerda modificaram-se, mas mesmo a defesa da ciência contra a igreja fora oportuna naquele tempo uma vez que fica claro que ao longo da história humana o ocultismo exercido em lojas maçônicas, seitas e sociedades secretas são no máximo ciência marginal e na melhor das hipóteses sobras elegantes da ciência mainstream como a alquimia e astrologia.

Mas como dito, as divisões fomentadas como na ideologia romana servem a dado momento aos interesses de um grupo o qual a escalada ao topo fora por meio de sabotagens e revoluções, mas longe da espontaneidade como a das defesas da ciência apaixonadas de um Galileu muito tempo antes. O objetivo é controlar o pensamento humano similarmente o que a igreja católica fez nos séculos anteriores ao controlar o conhecimento, e do ressentimento disso surgiu o "livre-pensamento" nos subterrâneos de sociedades secretas e seitas até emergir e ganhar veracidade com adeptos pensadores legítimos. Mas esse monopólio seria feito por meio de induzir e seduzir. O grande sucesso da Revolução Francesa - que fora crucial determinante para a expansão e concretização do domínio das sociedades secretas - se deu graças a inúmeros acadêmicos e pensadores da época que foram espontâneos ao contrário de sua origem. Até hoje a Revolução Francesa é louvada por seus pares ainda que ultrapassada em seu pensamento em muitos aspectos.

Nisso, sobretudo, se comprova que o pensamento fora dos padrões e convenções estabelecidas, sejam sociais, filosóficos, espirituais, religiosos ou políticos fomentam ódio discriminatório contra o Pensamento Original. Porém, apenas o original é o novo e como tudo que é novo gera resistência agressiva e violência, ou absorção perversa por parte do pensamento dominante. Todavia defendo o que acredito sendo fiel aos meus próprios preceitos, ideais e valores. Tais padrões de pensamento muitas vezes servem deliberações de um controle social velado a favorecer o homogêneo no pensamento e repelindo o conhecimento customizado. São estas formalizações que por reprodução geram o senso comum e o pensamento acrítico o qual o indivíduo deve se adaptar para se sentir inserido. Afinal o sistema não subsiste apenas por leis e regras implícitas, mas assim almeja controlar as mentes a seu favor e isso alimenta a ideia de uma ilusão permissiva controlando assim a realidade.

Assim manifestam-se os ismos dos pensamentos mais costumeiros para a perpetuação, consolidação e reprodução desse poder como ferramentas são o utilitarismo, relativismo, liberalismo e o iluminismo que fomentam mais problemas que melhorias para se impor. O iluminismo que historicamente está defasado e relativismos que favorecem acepções, ambiguidades e justificam discriminações. Toda diferença é polarizadora em definições veladas de "perdedores" e vencedores.

Controlar desse modo controla-se as atitudes e a consequente essência do que são, o indivíduos por opções limitadas tem assim o livre-arbítrio cerceado a escolhas previsíveis ante caminhos anteriores existentes direcionando quanto ao coletivo a influxo de realidade a formando do jeito almejado gradualmente. A liberdade plena será assim ocultada por não conhecimento das demais opções ou por obstáculos que buscam bloqueá-las ou lhe reputar alto preço compelindo o fluxo de decisões a um objetivo por uma corrente tornando a vida uma múltipla escolha, não discursiva. Quem controla esse fluxo, controla a realidade em todas suas injustiças e problemas por isso derivado. Algo amplamente debatido no livro 'Ars Ad Speculum' de minha autoria.

A ideia de modificar signos e significados de palavras são expressamente variáveis de controle desse influxo por reprodutores acríticos da população como massa de manobra por seu estado de dormência e assim extenção desse influxo, algo que George Orwell teorizou no livro 1984 sobre a novilíngua.

A redução da diversidade em padrões de uniformidade em todos os setores igualmente manifesta esse desejo normalmente repelindo a autonomia customizada ante a crescente dependência do sistema criando uma prisão invisível se possível reduzindo o ser humano aos instintos animais e acrítico para melhor condiciona-lo as limitadas escolhas reativas a exemplo do behaviorismo. As limitações assim surgem de modo social por modas ou realidades hostis compelindo o "lutar ou correr" ou pior, "matar ou morrer" como únicas opções; limitações ideológicas e intelectuais com os padrões de pensamento estabelecidos; limitações econômicas para que sejam colocados limites para o acesso a serviços, bens e produtos; de modo a aprisionar mentes e atitudes fomentando escolhas falsas que sirvam os poderosos que as criam. A vida torna-se um cardápio limitado por preços muitas vezes não tabelados, conduzindo o ser humano como um gado gradualmente apático e sem vontade própria que por rédeas a um destino almejado.

Dos prazeres fáceis e os vícios que geram as dores impostas servindo a um hedonismo controlador. A exclusão o qual fecha portas de opções e oportunidades também é comum oferencendo em desigualdade o acesso a tais oportunidades e escolhas apenas aos poderosos e abastados servindo assim os interesses vigentes dos poderosos.Compele ao crítico despertar mentes e corações as escolhas ocultadas, ao caminho invisível, a passagem secreta no beco sem saída resistindo ao influxo de realidade que arrasta vidas a miséria.

Aos bravos que rompem esse fluxo raro são os sobreviventes intocados lhe sendo reputada consequências normalmente sem proporção e relação e quando por ideologia influente ser absorvida com violência pelo sistema.

Um exemplo seria o cristianismo que em sua origem serviam aos mesmos que sem opção eram os marginalizados, oprimidos, escravos e perseguidos como um caminho de redenção e salvação, mas desde quando absorvida por Roma, e tornando em instituíção passou a se tornar igual forma de controle através da fé alheia. O arrebanhamento não conduzia a salvação mas a um controle que potencializasse o poder dos controladores. Alguns acham ter o monopólio da salvação apenas por colocar um pedágio pra ela, mas seria como dizer que você apenas será salvo ou condendado pelo que fazem contigo, não pelo que você faz ou deixa de fazer.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Horizonte de Visão Intemporal

Abaixo um trecho do último conto de 'Cronomancer' onde se discute a filosofia por de trás da hipotética tecnologia que dá nome ao livro, algo supostamente ver além no 'Horizonte de Visão Intemporal' que compreende como uma variável do conceito de Horizonte de Realidade, de Gerson Avillez.

Horizonte de visão intemporal: O ser humano é capaz de "ver" apenas pouco tempo a frente do presente, essa visão nebulosa se torna gradualmente mais nublada a medida que avança a frente de seu tempo até desaparecer as densas névoas de uma cegueira intemporal. A visão em questão primeiro parte do reflexo, o grau intemporal mais próximo ao presente, depois a dedução, a intuição e em raros casos a premonição e profecia. Mas a ciência nunca fora capaz de compreender isto não saindo dos estudos dos reflexos.
O termo previsão vem já junção de pré e visão, ou seja, uma pré-visão de algo além do tempo presente, uma prévia até ser realmente visto por vias sensoriais. Os sentidos sensoriais sempre estarão fadados a estarem presos no presente, todavia a mente não. Mesmo a nível instintivo a mente prova isso através do medo, por exemplo, um nível além do reflexo esse instinto compele a reações mediante uma possibilidade incógnita de perigo percebido justamente pelo 'e se' não reagir de forma proporcional, ou seja, o cérebro forma em sua mente acontecimentos futuros prováveis ante a situação de risco eminente.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Os Motivos de Fazer Literatura

"O autor pode não interpretar. Mas tem que dizer porquê e como é que ele escreveu o seu livro."
Umberto Eco

Quando escrevo um livro realmente me sinto compelido a explicar as inspirações e motivos do livro, seja conto ou novela, conforme o próprio Eco afirmou, assim o mesmo espero de obras com algum apêndice que amplie essa visão pelas vias do autor em questão.

Ao seguir com a leitura da obra de Howard Philip Lovecraft me deparei com uma carta dele nos apêndices de 'A Sombra de Innsmouth' sobre o modus operandi de sua escrita, e pelo incrível que parece nutri semelhanças com o método que utilizo para desenvolver meus contos e novelas. Para ela "a sinopse é o verdadeiro coração da história. O verdadeiro trabalho criativo na escrita de ficção consiste em originar e dar forma à história na forma de sinopse."

Sobretudo ele revelou o descontento já naquela época com o mercado editorial, uma desilusão tão grande que chegou a ponto de ele praticamente abandonar a carreira literária, para ele a verdadeira arte das letras consiste em "trabalhar apenas a fim de expressar-se e satisfazer seus próprios critérios ficcionais. O comércio e a literatura decente não têm nenhum ponto em comum a não ser por acidente."

Naturalmente que imagino que Lovecraft tenha muito material inédito assim como outros autores. Mas por isso ao contrário de autores como Stephen King que prega descartar manuscritos e originais - como dito por ele em 'Sobre a Escrita' - que ficam muito tempo sem publicar, apoio mais a concepção de Umberto Eco que é diametralmente oposta, proteger a existência de um original concebido. Para ele "se alguém escreve um livro e não cuida da sobrevivência desse livro, então é um imbecil."

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Projetos Literários Perdidos ou Embrionários

Abaixo disponibilizo uma série de sinopses de projetos literários que foram abandonados ou colocados em segundo plano ante projetos atuais. Mas o fato é que estão parados há muitos anos, e ainda que a maioria não sejam de ideias com mais de dois anos alguns argumentos tem mais de dez anos de concepção.

 
A Segunda Vinda do Filho

Projeto de uma novela o qual intercala flashbacks dos tempos de Jesus onde uma conspiração incitou sua crucificação a tempos atuais onde após uma possessão coletiva e outros sinais indicam seu retorno, mas os mesmos responsáveis por sua morte ontem querem impedi-lo hoje.

Jovens Ano Zero

Novela de suspense adolescente e conspiração. Numa escola para alunos superdotados, grupo de alunos ficam conhecidos por passar trotes inteligentes, porém, uma das brincadeiras acaba sendo responsável pelo evento do 11 de setembro.

Clube do Suicídio
Um grupo de jovens desiludidos e injustiçados, que não se conhecem, se encontrarem para um pacto incomum: planejarem um suicídio coletivo. Mas ao descobrirem uma série de relações indiretas e coincidências entre eles de modo inusitado percebem que este pode ser um inusitado sinal de que suas vidas tem significado ante um embate entre tudo que há sentido e o que não tem.

Babel Supernova
Século XXV, uma série de mortes são cometidas no mais antigo e alto arranha céu de Marte, o Supernova. Em meio ao furor Betelgeuse vira nova enquanto um corpo celeste estranho adentra os limites de um sistema solar colonizado. Numa humanidade extraterrena que aboliu as práticas no imensurável da espiritualidade, no entanto, rumores apontam para que os três eventos ocorreriam com uma relação prevista por uma profecia do último movimento espiritual humano, no século XXII quando a torre fora construída. No entanto, os segredo disto parecem estar nas fundações Supernova e para descobri-la um misterioso grupo está pronto a destruí-la num atentado terrorista. Resta a um grupo de pessoas presas em seu topo trabalharem com arqueólogos espaciais contra o tempo para descobrir os segredos que remontam ao tempo da chegada do homem em Marte.

Codex Kairos - Verbum Tempus ad Dei
Livro de poemas e versos sobre o tempo e assuntos pertinentes ao caos.

Guia de Sobrevivência Apocalíptica

Livro de não ficção bem humorado sobre o apocalipse e suas muitas possibilidades no melhor estilo Max Brooks onde dicas são dadas de como proceder, reagir e se proteger.

Labirinto do Saber

Livro de não ficção sobre teorias da pedagogia e do aprendizado sob uma óptica de Paulo Freire sobre as concepções e visões do autor sobre a verdadeira importância da educação.

O Código do Caos

Novela de ficção científica onde uma série de personagens estão numa rede de relações inconsciente permeada por coincidências e uma conspiração a cidade isolada o qual pertencem indicando haver uma espécie de motor de coincidências no caos.

Os Sete Sabores da História

O livro de não ficção postula uma hipótese o qual sete sabores da História tornam possível não somente a combinação que resultam na variedade histórica como prever eventos, inclusive cíclicos na história humana.

Dei Paradoxon

Livro de não ficção onde o autor usando como ilustração seus contos explica os tipos e graus de paradoxos propondo resoluções lógicas e uma filosofia própria a eles, algo iniciado num de seus primeiros livros 'Ecce Libro'.

Despertar das Máquinas

Inspirado nas ideias de Stephen Hawking o livro mostra a luta da humanidade contra uma superinteligência artificial que se torna consciente e controla a tecnologia e comunicações globais.

Projeto Akator

Novela o qual uma expedição ao procurar por um avião com uma carga valiosa que caiu na floresta amazônica revela um segredo único encoberto pela selva. Mas essa procura pela aeronave o levarão a enfrentar desventuras e perigos sem contar o misterioso conteúdo do avião que traz uma revelação não menos única.

A História não linear do Mundo

Livros de não ficção o qual o autor por meio de fatos históricos e arqueológicos suspeitos tenta questionar a linearidade história da humanidade de modo a fomentar um traço de linha de eventos não cronológica a história do mesmo por meio de intervenções intemporais.

Psiquiatra de Füher

Romance histórico o qual uma conspiração nazista se cria contra Edmund Foster, um psiquiatra que em posse de documentos que atestam a instabilidade e divergência mental de Hitler pode impedi-lo de subir ao poder, mas que com a subida do III Reich todos envolvidos no tratamento do então jovem Hitler que era um soldado com cegueira na I Grande Guerra passam a ser sistematicamente caçados, desaparecendo ou sendo mortos.

Alvorada Das Trevas

Novela de terror de Gerson Avillez onde é narrada o surgimento em escala global do domínio dos vampiros na Terra ante um apocalipse iminente.

Peste Negra

Novela de Terror passada em tempos medievais onde a peste negra teria sido uma história para encobrir a primeira pandemia de mortos vivos da história.

O Terceiro Lado
A novela ou conto de Terror narra a história de um demônio que arrependido da queda, asmofobos, passa tentar impedir o apocalipse promovido pela funesta entidade Ambophet.

Herdeiros do Caos
Após uma continuação alternativa de 'Herdeiros do Destino', uma continuação oficial do mesmo. A Ordem do Ventos após ficar sabendo que alguém no futuro está usando a 'água dos profetas' para passar informações ao passado contatam Gerson Avillez para descobrir como a origem da
Ordo Ab Chaos está entrelaçada com a Ordem dos Templários. Mas esse alguém do futuro seria alguém que ainda não nasceu, justamente o filho do Gerson.

O Que acharam? Deixe nos comentários qual projeto vocês gostariam de ser realizado primeiro!

segunda-feira, 27 de março de 2017

Conto: 'Duas Cidades e Um Fim'

Abaixo publico na integra o conto da antologia 'Cronomancer', 'Duas Cidades e Um Fim:

"Conhecer o passado é importante para traçar o futuro." Umberto Eco

    Aqueles homens eram a vanguarda das fronteiras de uma nova ciência o qual o limiar emergia em descobertas sem precedentes. Na tela o monitoramente em tempo real de uma sonda era efetuado marcando o tempo de 42:37 ainda que parecesse para os presentes um tempo disforme ao comum graças a relatividade. Aquela empresa que era da iniciativa privada viu suas ações e ativos ascenderem rapidamente no mercado financeiro com a publicação da descoberta de como criar fendas temporais a tempos diferentes ainda que não soubessem como direcionar essas fendas a um tempo específico. Para todos efeitos estavam em seu apogeu de uma provável era dourada de uma ciência temporal - e possivelmente dimensional - que tornava possível até mesmo viagens aos confins do universo e além.
    A ruptura do continuo espaço-tempo era realizado pela emissão de frequências opostas a do tempo oriundo numa intensidade diamentral a frequência presente numa forma de anular o fluxo de tempo direcionado e assim não romper a seta do tempo mas como um surfista atravessar uma 'onda temporal' antes que ela quebrasse. Tratava-se de ir no sentido oposto da direção do tempo e assim contra seu fluxo de modo a engendrar uma quebra dimensional sem voltar no tempo, mas corta-lo. Aquilo partia de teorias postuladas por um brasileiro que a apesar de não ser oriundo e formando no ramo que aprazia as hipóteses seu pensamento filosófico fora base para o mesmo.
    Naturalmente que havia eventuais boçais que por sua ética de acostamento - para não se dizer marginal - buscava sabotar os experimentos por uma espionagem industrial para empresas sem mesmo brilho ético e isenção para com as fontes e resultados catalogados das pesquisas. Porém, mal sabiam os cientistas daquele grupo científico que eles teriam de enfrentar o pior tipo de sabotadores, uma seita que fazia trabalhos de espionagem para o imperialismo norte-americano que não estava nada satisfeito de um pais considerado de 'terceiro mundo' tomasse a dianteira de um conhecimento que facilmente poderia coloca-lo no topo das economias.
    John Tyson que era o líder do grupo de cientistas temia pela segurança dos seus, porém, o prédio onde os experimentos eram realizados era conhecido por um rigoroso sistema de segurança que rivalizava com a própria NSA o qual eram frequentes vítimas de tentativas de invasões e monitoramentos virtuais ante a cobiça imoral e insaciável do Tio Sam. Mas aquele dia, 29 de março ficaria conhecido como uma infame invasão da escória mais funesta que existia, logo quando o experimento completava seu centésimo dia.
    A invasão fora precedida por uma infiltração silenciosa meses antes. Apesar de obviamente não haver licenciosidade em suas atitudes quem não puderam comprar colocaram seguranças infiltrados de um grupo ocultista de neosodomitas, homens que veneravam e cultuavam o ato do coito. Aqueles por meses usaram da coação para corromper suas vítimas, usando de seus segredos sob ameaças de expô-los e até mesmo atitudes de violência para impelir elas a obedecerem. Quando chegou aquele dia, justamente quando era realizado os precursores do envio de uma pessoa os seguranças infiltrados, contratados especialmente para aquele ato vil, renderam os que não eram vendidos e na surdina da madrugada adentraram as portas dos fundos. Quando surgiram diante do saguão onde estavam os cientistas plantonistas a surpresa fora geral. Os homens fortemente armados renderam a todos e uma vez não sendo visto revelaram-se despindo-se de toda máscara de suposta educação como hipócritas que eram. O primeiro a ser pego fora Tyson que puxado pelos cabelos fora forçado a dobrar os joelhos ante eles.
    - O que querem conosco? - Indagou Tyson suplicante ao homem de olhar frio e impassível. Por qual motivo invadiram? Iriamos publicar os resultados!
    - Muitas perguntas! Odiamos questionamentos! Quero que copiem todos os dados capitalizados, esquemas das máquinas e números.
    - Que tipo de gente são vocês? - Indagou uma mulher tendo como resposta ser agarrada igualmente pelos cabelos e arrastada até ao banheiro os gritos.
    - Caso não obedeçam faremos vocês também de bonecas! Sabemos o que tem sido realizado aqui, o experimento provocou ondas gravitacionais sensíveis nos Estados Unidos. Vocês quebraram o fluxo temporal e queremos saber como, pois somente é aceitável que nós sejamos os pioneiros, nós! Vocês irão provocar o fim do mundo seus loucos!
    - Impossível o que é ético provocar um apocalipse, apenas se vocês isso provocarem caso sejamos assim honestos.- Resistiu Tyson resignado ao contemplar o namorado da jovem cientista chorar copiosamente enquanto ouvia os gritos dela sendo estuprada no banheiro.
    - Vamos estuprar sua família, e qualquer mulher que goste ou goste de você serão nossas putinhas, você não vai salvar seu rabo, Tyson, estamos na sua cola! Agora é tarde. Viemos cobrar o que é nosso, pelo deus que servimos! A ética será o fim do mundo!
    Fosse qual fosse o deus que ele se referia por ser tão grotesco e cruel não poderia ser o Cristo bíblico, aqueles homens o qual o único segredo era a corrupção usavam de todos meios imorais e antiéticos para se impor. Mas naquele momento o namorado da jovem saltou a ficar de pé agarrando a AK-47 que um dos fanáticos sodomitas utilizavam, arma de uso exclusivo das forças armadas. O homem lutou corpo a corpo tirando a atenção do grupo invasor que lhes desferiu tiro matando tanto o sodomita quando o jovem aterrorizado. Porém, aproveitando aquele momento os cientístas reagiram, uns correndo e outros lutando com os invasores.
    Tyson correu com o grupo que tentava fugir parando justamente no setor onde o vórtice do fluxo temporal rompido abria. Sem muito fôlego pois era um homem de meia idade e fora de forma, Tyson pensou na única maneira possível de fugir de lá, abrir um vórtice aleatório interrompendo a missão da sonda, ideia esta recebida sem resistência ante o desespero daqueles homens da ciência.
    Trancaram a porta para que os outros, aqueles invasores e seu clube da injustiça e crueldade, invadissem e acionaram ao acaso o procedimento de abertura dimensional. Utilizando-se de um giroscópio espelhado e emissão de um feixe de laser aquilo curvava sensivelmente o espaço-tempo até que o feixe conseguia ferir a malha temporal no sentido contrário a seta do tempo, ou seja, ao passado. O procedimento transcorria numa contagem enquanto os homens daquele sádico sodomita esmurravam a porta tendo um refém seguro pelo pescoço. O líder do grupo gritava palavras de ameaça com violência sufocadas pela vedação do recinto, mas de nada adiantou, o vórtice abriu lançando uma luminosidade difusa em meio a um turbilhão de cores o qual as leituras varavam o comum a uma singularidade onde nem o tempo e a gravidade eram comuns. Sem pestanejar os homens adentraram sendo tragados por aquilo como se fosse uma boca famélica aberta e então o vórtice desabou sobre si mesmo.
    A sensação de enjoo era intensão, na verdade aquela profusão de convergência física provocava uma sobrecarga sensorial onde tinham a impressão de terem visões disformes de variáveis da situação o qual se encontravam. Caíram de joelho num solo desconhecido e sentiram alívio ao perceberem se tratar de algo sólido e fixo.
    Tyson vomitou assim como a jovem cientista que estava com ele, Lorraine, que ficou pálida com tudo aquilo. Mas a despeito de temerem os resultados sobre um organismo vivo como eles, o procedimento obteve regular êxito de modo que mesmo o desespero lhes serviu como experimentação científica.
    Quando se recobraram observaram estar num deserto, lugar que se estendia por uma vastidão desconhecida do espaço e tempo terrestre. Sem quaisquer mantimentos e água caminharam e logo a exaustão lhes sobreveio com o denso calor, mas não sem antes observarem o que parecia ser uma extensão de cidades que seguiam por um vale até perder-se no horizonte. Os homens da ciência caminharam até se depararem com uma cena ultrajante, uma bela jovem era agarrada a força e arrastada por três homens que a despiram e começaram a fazerem um ato sexual a força com ela ali, a céu aberto. Chocados pela cena doentia logo Lorraine ouviu o dialeto daqueles homens que parecia com o hebraico o qual ela tinha noções por ter como parte de sua formação ter sido linguista.
    - Meu Deus, acho que estamos em Sodoma e Gomorra! - Exclamou ela relutante a comprovar que eles haviam fugido da panela de pressão para a frigideira.
    A lendária cidade conhecida pela depravação hostil e agressiva parecia mais remeter a uma versão humana de bonobos dada a obsessão ao coito que possuíam. Ao adentrarem perfilavam vielas onde homens e mulheres eram vendidos não apenas como escravos mas escravos sexuais a cultos de deuses pagãos que se quer conheciam. Nesse mundo moralmente senil a arbitrariedade é abissal onde os outros que produzem algo de qualidade inferior é pago com mulheres maravilhosas e uns eram arrastados a prostituição cultual para serem saqueados e terem sua dignidade reduzida abaixo do limiar da humanidade.
    Tyson caminhou pelas vielas e logo todo o grupo sentiu-se vigiado, afinal eram estranhos naquele lugar. Temendo o que lhes acontecesse logo viram-se cercados inicialmente por crianças e a seguir por homens que lhes lançavam olhares insidiosos e cheio de maldade. Famélicos sexuais aqueles degenerados então fecharam sua passagem, se não conseguiam viver um dia sem coito com os seus imagine na presença de estranhos.
    Eles foram arrastados até uma espécie de anfiteatro onde era realizada uma orgia. Em meio a massa disforme de homens e mulheres o qual mal se distinguia homossexualidade de coito hetero uma mulher com vestes purpúreas parecia exultante em seu meio enquanto tomava um cálice de vinho ante o pranto de algumas vítimas defloradas, ela estava sentada num trono ante um tênue vapor de ervas que lhe era soprado. A mulher olhou cada um dos forasteiros mas fixou-se em Tyson e então sorriu pronunciando em seu dialeto uma sentença o qual ao ser traduzida por Lorraine deixou-os consternados.
    - Há estranhos entre nós que nos será a salvação na perpetuação de nosso legado, por sua compaixão eles livrarão um de nós para carregar a palavra de nosso deus.
    Relutantes com aquela mensagem, pois Tyson não conseguia acreditar ser possível se apiedar de uma alma que fosse pura naquele lugar os homens começaram a lhes maldizer seus desejos de coito desacerbado em seu dialeto parcialmente interpretado por Lorraine que por se tratar de termos chulos mesmo a língua deles ela resignou-se a não relatar as predileções daqueles depravados. Naquele momento então surgiu uma mulher que parecia defender-lhes, ela alegava que por serem forasteiros que procuravam a casa dela deveriam ser respeitados até que viessem fazer o que lhes foram designados. Assim relutante os homens resolveram libera-los ainda que sob os mais intensos olhares penetrantes de devassidão.
    Aliviados por se livrarem da emboscada, Lorraine perguntou o nome da mulher de modo rudimentar em seu dialeto, e para surpresa de todos seu nome era Ló, a biblicamente lendária mulher que teria virado pedra de sal ao olhar a destruição das famigeradas cidades.
    Ao serem conduzidos a casa dela a mulher relatou que recebera a visita de dois anjos que os teriam dado ordem para evacuar a cidade ante a destruição iminente e notando eles não serem dali a mulher preocupada com os forasteiros disse que igualmente deveriam retirar-se do covil de sodomitas rituais.
    Ao chegarem na casa de Ló, todos preparavam-se para se retirarem. Não havia sinal dos supostos visitantes que havia antes retirado-se. Reunindo mantimentos, provisões e algumas propriedades como bens e animais tão logo eles se dirigiram ao exterior da residência quando um abalo se sentiu e uma fenda no chão se abriu fazendo ouvir-se urros da população. Da fenda um vapor fumegante levantou-se e pessoas corriam de um lado a outro enquanto eles retiravam-se. Inúmeras habitações cederam e desabaram dando lugar a uma sucessão de entulhos e destroços. Chocados com tudo aquilo, Lorraine e Tyson pareciam perplexos e impressionados com o terror da população quando então viram um jovem o qual segurava o braço de alguém abaixo dos escombros. Hesitantes Tyson e Lorraine pararam ao observar os prantos copiosos do adolescente clamando por socorro.
    Ficaram para trás após pedirem para Ló e sua família seguirem a diante. Resolveram ajudar o jovem garoto ante o corpo jazido sem vida do que seria sua mãe. Lorraine tentou usar de sua persuasão para salvar o jovem informando que aquele era o início do fim do iniquo daquela cidade. O jovem fora conduzido em meio aos desbaratados habitantes até o alto de um monte quando a cidade fora envolvida numa profusão de luzes como a de um bólido que numa forma de esfera engoliu toda cidade a reduzindo as cinzas. Ouviu-se em meio a explosão apenas gritos serem envolvidos pelo som uniforme da explosão que sucedeu ao silêncio sepulcral e por uma densa coluna de fumaça que se ergueu até os céus. Os choros do menino cessaram, mas ele soltando-se correu em meio ao deserto e nunca mais se viu.
    Tyson e o seu grupo seguiram caminhando igualmente envolvidos pelo silêncio que sepultou aquela cidade designada a aniquilação e nunca mais foram os mesmos ainda que tivessem se safado. Ficaram a se indagar o que aconteceu no tempo o qual eram oriundos, mas nunca mais retornaram sendo forçados a viver e morrer naquele tempo onde a maldade era punida por seres supostamente angélicos e celestiais.
    Mas enquanto isso no futuro que lhes eram outrora presente os membros da equipe de Tyson que não morreram ou fugiram com ele foram inexoravelmente submetidos aquele grupo servil de modo que ainda sendo néscios na ética e moral advogavam para si o direito das descobertas que antes eram frutos dos cientistas e mentes que serviram naquele nobre projeto. Longe da vanguarda científica, filosófica e moral aqueles primitivos agora se consideravam modernos e louvavam seus fundadores como pessoas a frente do tempo. Fundadores como a lenda de um jovem o qual teria escapado da destruição de Sodoma e Gomorra e assim fundado as crenças e convicções daqueles déspotas amantes da mentira e subversão enquanto ao traduzirem ao público o que supostamente faziam em suas reuniões secretas seriam apenas uma sucessão sobre trânsito e corridas de carros, e os povos normalmente embebidos no caldo da mentira acreditavam que aqueles eram homens de hombridade e equidade imparciais, pois numa ilusão se respira mentiras enquanto Tyson e os seus dados por desaparecidos como vítimas sem querer prestaram um serviço ao próprio mal que lhes submeteram, indiretamente os criando a destruição daquelas duas cidades teve um fim, a criação de um mal posterior global.

Conto na Revista 'Litera Livre'

Presente em todas edições até o presente momento - desde o número zero. O atual conto selecionado dentre 600 de mais de 356 autores para a segunda edição da Revista Litera Livre, Reincidente Intemporal, de minha autoria. Baixe aqui seu exemplar gratuito e enjoy.


Abaixo alguns comentários do conto extraídos da antologia o qual pertence originalmente:
Considero um incômodo ter de fazer comentários de meus contos, novelas e romances à pessoas que não que depreciam talvez por não atinar à uma compreensão clara do mesmo - por falta de QI ou não -, mas para antever comentários de idiotas arrogantes teço os meus como autoridade sobre o que crio, sendo autor afinal somente eu tenho a palavra final sobre isso pois sou eu o dono das próprias palavras que crio. Como dito no vídeo anterior muitas das minhas ideias estão diretamente vinculadas a moralidade e ética, e o conto 'Reincidente Intemporal' não é exceção estando diamentralmente ligado a ideia do que seria certo e errado numa optica intemporal, ou seja, uma crítica aos critérios morais pertinentes aos conhecimentos prévios, parciais ou não, do tempo assim como viagens no mesmo. Ao contrário de rudimentos fracos que de tão tortuosos levam apenas a inversão moral onde como a loucura não se discerne o certo de errado procuro exercer tais críticas e reflexões com isenção pois somente assim elas são verdadeiras e plenas. Seria como falar que namorar é imoral, mas estuprar é normal, que se o autor publicar os trabalhos literários é imoral, mas saquear as ideias e em plágio publicar no lugar dele não. Deste modo segue meus comentários como critica aos que se julgam ter o conhecimento de um demônio de laplace não sabendo nem o que significa o termo consequência. A pergunta pertinente é com que base podemos salvar ou condenar alguém de um evento intemporal uma vez não conhecendo as variáveis caóticas no tempo? Muitos paradoxos se provam assim como não sendo meramente de eventos, mas sobre o 'certo' e 'errado'. Contos como estes reafirmam que estão totalmente interligados com uma ética isenta e pura em sua prática!

Assista abaixo o vídeo com os comentários:

terça-feira, 14 de março de 2017

Loucura, Genialidade e Maldade

Abaixo transcrevo um trecho de um de meus projetos literários ainda não definidos.

A inspiração da genialidade não está tão distante do que os gregos antigos postulavam. A genialidade é o encontro da loucura com o propósito do talento e vocação. Já tive esse encontro algumas vezes. Seria assim a genialidade como achar ordem no caos da loucura, dar-lhe um sentido e porque, a única verdadeira ordem ainda que nem sempre vigente. A genialidade é a loucura canalizada, digo pois a genialidade não é algo permanente, mas como surtos, similarmente ao ato de heroísmo ainda que este seja movido pelas circunstâncias.

A genialidade pode ser como lentes que assim como a loucura enxerga o mundo diferente, mas ao contrário da loucura tem a visão de enxergar muitas vezes ante o óbvio algo inteiramente novo, original e jamais percebido, enquanto a loucura sendo caótica é arbitrária, sem proporção, mas ainda assim está fadada a fazer apenas o que antes era feito, a loucura é a genialidade sem o propósito e originalidade da genialidade. Ser gênio significa ser original, usar da mesma potência da loucura associada a resultados contrários da mesma. A loucura é o meio termo entre a maldade e a genialidade que são diametralmente opostas.

Num outro ponto extremo da loucura podemos observar a maldade que em seu estado mais puro exprime a mesma ausência de proporção e de 'porques' mas concebendo coisas que normalmente era anteriormente existentes, afinal o que há novo na violência a não ser variáveis de perversidade? A maldade é um plágio de si mesma num eterno retorno mesmo a vítima. A maldade é a loucura ritual.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Para Ver A Infernal Sociedade de Alguns



Não preciso usar entorpecentes para conhecer como é mal, basta conhecer seus efeitos. De modo similar conhecemos as leis físicas que invisíveis e não escritas são perceptíveis apenas pelos padrões que denotam. A dedução leva ao conhecimento tanto como inferir a exemplos de eventos astronômicos. Limitar o conhecimento a conhecer diretamente é falso pois nem tudo é tangível de mensuração direta, caso contrário não saberíamos que a luz da Lua advém refletida do Sol, assim tornaria preciso abrir todas as laranjas para compreender que todas possuem sementes. Como o conhecimento de Deus ocorre pela fé, não precisamos necessariamente vê-lo para saber. O mesmo ocorre ao perceber inquestionáveis padrões que circundam as conspirações ainda que uma névoa a encubra. Não preciso me jogar no esgoto para saber que seu gosto é amargo e ruim.

A corrupção é um mal atemporal onipresente em qualquer época com menos ou mais intensidade. Mas conceber a existência de uma rede subversiva que a perpetra em oculto parece uma prerrogativa exagerada ainda que historiadores sérios como Pablo Allegritti em seu ‘Redes Secretas de Poder’ isso afirme.

É uma extensa rede o qual a complexidade envolve diversas pessoas, inclusive do crime organizado a fim de estipular limites ao desenvolvimento, progresso e sucesso nacional. Digo com conhecimento de causa mediante a situação grave que passo ante a opressão desses insidiosos grupos que por meio de fraude, coação e corrupção (e tortura assim como outros crimes) tiram vantagem covarde de pessoas o qual interessa os pertences, no caso meus livros, ou meramente para subjuga-las mantendo assim uma superioridade autoritária. A opressão é a pretensa mais insidiosa de poder, inexiste relação social com o oprimido a não ser de parasitismo. A infiltração, não invasão, é a preferência de quem não deseja assumir quaisquer responsabilidades morais por seus atos.

Como no mito da caverna de Platão concebemos que o entendimento do mundo para alguns dar-se pelas sombras, mas mesmo pelas sombras distorcidas do que é a realidade podemos deduzir os objetos que lhe precedem, a verdade concausal. Similarmente assim operam as conspirações e poderes ocultos do mundo o qual os efeitos distorcidos do que seria a verdade podemos deduzir o que se oculta.

Observável que apresentam autonomia até mesmo ante a autoridade máxima dos Estados Unidos da América, o presidente, do qual creio que até mesmo alguns operações e projetos negros não lhe são de conhecimento, ao menos oficial.

É insuportável aquele covil em estado permanente de conluio, haviam arrastado centenas de pessoas de vida digna apenas por terem tido a infelicidade de cruzar seus caminhos, dilacerou seus lares, esfacelou seus trabalhos os destituindo a sarjeta em louvor as elites que isso ordenavam. Tinham hábitos insuportavelmente hipócritas de se esquivarem escorregadiamente da verdade e com a destreza da ignorância o qual eram hábeis invertiam  as alegações do hediondo ainda que ante o ônus da prova, as proferindo numa exposição bizarra de seu inócuo intelectualismo tornando os bravos que diziam as verdades em seus para-raios de frustação moral praticada religiosamente como parte de suas crenças ausente da mínima responsabilidade moral ante a seu culto insidioso ao diabo sob diversos nomes. Alias, mudava-se o nome ou demônios as práticas eram as mesmas.

O que a mentira, ódio e discriminação tem em comum? O ódio é o argumento dos que não tem razão, o lampejo de insanidade que move a discriminação. Mas enquanto a verdade não precisa da coação e violência para ser colocada, apenas a mentira assim como sua repetição que aspira apenas aos ecos do vazio de sua inexistência como o abismo que promove a discriminação.

Preconceituosos fétidos por mais que escarrassem seus sofismas não havia a menor razão objetiva as suas arbitrariedades e relacionamentos assimétricos e sem proporção, mas o parasitismo era um dos nomes não ditos em sua corrupta Nova Ordem Mundial que ocultava sob essa meretriz sádica uma masmorra invisível de açoites, inclusive sexuais.

Sua moral pretérita e enormemente defasada era o sincretismo de todos os males atemporais que compelia suas vitimas, a uma abiose social diminuindo a sociedade a um circo cujo os shows de horrores eram na melhor das hipóteses a melhor exibição de ineptocracia para chocar sua plateia com as represálias dos mais sepulcrais crimes sexuais. Ai de suas vítimas se quiserem viver de seus dons, clamavam o coral de déspotas num assombro funesto a qualquer fé pura.

Mas o que era a Nova Ordem Mundial e suas sucursais do inferno senão um absurdo o qual o único pilar moral era uma fachada diplomática de moralismo?

Os seus em grande parte eram vagabundos que tinham valor apenas no mercado negro onde vendiam até suas almas e vidas alheias. Vadios o qual o oficio era cuidar do ânus alheio e da vida de seus massacrados lhes imputando histórias inverossímeis num teatro dos vampiros.

Esse exército rivalizava com os mais servis demônios do inferno em perversidade implacável, de estupradores, traficantes a psicopatas boçais aquilo remetia a uma versão piorada da SA nazista. Escravo casa na senzala, preso recebe vítima íntima, mas aqueles sempre davam um jeito de criar um novo paradigma para a maldade ultrapassando os limites do anterior com seus desafetos o qual nutriam um ódio do tamanho desacerbado de seus egos por simplesmente estes não aceitarem a servidão e dizerem a verdade do que são, a loucura travestida de humanidade. Mas a servidão moralmente senil é indiscutível para quem se quer sabe conviver.

Manter margem abissal para dar segura vantagem as classes dominantes e subjugar quaisquer que não sejam preteridos a não ser as classes inferiores. Assim manter confortavelmente a supremacia das elites e seu status quo mantido se for preciso através de meios clandestinos e subversivos o qual o objetivo é manter uma margem lucrativa de exploração e submissão principalmente das classes inferiores através do abuso e escravidão velada ou por dívida.

A prova flagrante disso apresenta-se a exemplo de mim e o obstinado e irrevogável objetivo de saquear minhas propriedades imateriais mediante argumentos esdrúxulos e nenhuma prerrogativa legal comprovada. Através disso todo tipo de ameaça e dano oculto é feito para impor por meio autoritário a garantia que terá sempre seu lucro extorsivo e fácil mantido pois não cogita-se qualquer tipo de ganho ao oprimido, muito menos a compra legal. A sabotagem sistemática é outro sintoma perceptível em minha vida, não somente na área artística, mas em todas demais como na sentimental pelo qual renderia por si só um extenso texto sobre as mais depravadas e subvertidas práticas imorais que se fixa por inversão de valores.