Páginas Sobre

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Biblioteca do Autor

Abaixo algumas fotos da biblioteca de Gerson Machado de Avillez e alguns dos principais livros de sua coleção e as do qual é autor. Todos os livros são originais; os de sua autoria são legitimados por lei, registrados no Escritório de Direitos Autorais da FBN (Fundação Biblioteca Nacional) sob a lei de direitos autorais 9.610. Não aceite imitações ou plágios. rs

Gerson Avillez no seu canto do saber.

O labirinto predileto do autor.

sábado, 17 de junho de 2017

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Conto das Eras de um Mundo Fantástico

Abaixo a sinopse de dois contos que serão agregados no próximo projeto literário de antologia, 'Conto das Eras de um Mundo Fantástico', de Gerson Machado de Avillez. Uma série de contos que utilizando do conhecimentos antigos como reais, ou épicos fantásticos a exemplo da Terra Plana, desenrola situações inusitadas. O projeto em parte será uma ironia as limitações do saber humano enquanto cria situações que hoje seriam impossíveis. Vejam abaixo:

A Torre do Tempo
 Preso num cidade que é um labirinto redondo o qual todos os doze portões de saída parecem fechados resolve enfrentar os desafios subindo a torre de seu centro para perceber que a cidade funciona como um gigante relógio de sol em que cada portão sendo equivalente a uma hora se abre apenas quando está sob a sombra da torre.

Os Limites da Terra

Um homem viaja para os limites da Terra que acredita ser plana e o que descobre fica surpreso ao descobrir o que há além, do outro lado.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Capas Preliminares de Cronomancer

Segue abaixo a capa do novo projeto literário de antologia de Gerson Machado de Avillez, Cronomancer. As capas a seguir estão ainda na fase de testes sendo passíveis de alterações e eventuais erros, clique nas imagens para ampliar.



terça-feira, 30 de maio de 2017

Sonhos Lúcidos?

Sempre tive sonhos desconcertantes, muitos dos quais inspiraram contos e livros meus ao transmitirem ideias e enredos completos, não por menos termino o terceiro conto totalmente inspirado num sonho meu, mas poucos sonhos superaram o último tido por mim. O sonho da madrugada de 29 de maio para o dia 30 de 2017 dentre outras coisas era de que estava saindo do meu próprio corpo ao dormir pra matar pessoas que me faziam mal ou queriam isto fazer. O mais curioso é que sabia que estava dormindo não somente no sonho que sonhava dormir, mas no dormir de verdade e, de alguma forma achava ver meu rosto de fora de meu corpo dormindo, ou seja, na verdade os sonhos se misturaram aos sonhos de que estava dormindo me trazendo certa dificuldade em discernir o dormir sonhado ou dormir real. O incrível é que matava estas pessoas de modo lúdico, como se influindo num substrato do inconsciente que afetava a realidade. Por isso considero os sonhos a realidade virtual da mente.

O mais incrível é que estes sonhos muitas vezes ocorrem fora do estágio REM do sono, algumas casos tem início ao suave adormecer do breve fechar dos olhos que dá lugar a uma profusão de imagens inicialmente sem nexo, mas tão logo a sequência de imagens parece gradualmente ganhar coerência e coesão. Não acredito que seja o mero organizar de memórias pois muitas dessas imagens não tem a menor relação com o que vivi no dia antes de dormir. Ao perguntar a um médico sobre essa condição, o psiquiatra afirmou que a ciência não tem respostas para tudo, especialmente para a mente humana. Não por menos ao começar a ler a autobiografia de Nikola Tesla fiquei estupefato ao descobrir que ele relatava a mesma coisa nas poucas horas de sono que tinha. Talvez seja alguma síndrome incomum ainda não descoberta oficialmente pela ciência da mente, algo que pode dotar a mente de algumas habilidades incomuns ou vice-versa. Algo que relato em meu livro de memórias.

Durmo muito mais que Nikola Tesla o qual sou fã, e sobretudo pareço ser profundamente afetado durante o dia por uma noite má dormida de sono, de dores de cabeça a falta de concentração, tudo em apenas um dia. O fato é que com este último sonho acordei com medo de que tivesse matado alguém dormindo, mas em poucos segundos adormeci novamente com o que aparentava ser o mesmo sonho, ou sonhei que acordei e voltei a dormir num sonho dentro do outro.

A Visão Pessoal do Autor da Teoria do Tudo

A ideia do livro (Fantasmas do Futuro) proposta similarmente noutros, parte da hipótese de que as singularidades permitem que se saia das dimensões de nosso universo ao romper o fluxo do tempo tornando possível se alcançar o passado, mas sempre em termos do multiverso pois o passado é impossível de se alterar sem com que, na verdade, crie um desvio a um universo paralelo onde a "alteração" exista. Parte dos fenômenos que indicam essa possibilidade podem ser sentidos na mecânica quântica o qual considero uma manifesta-se de quase singularidade expressa no limiar e fronteira de nosso universo ao além. Daí o comportamento atípico de particular que parecem literalmente sair do universo tangível dando veracidade a ideia de que o vácuo quântico não é tão vazio assim, tal como fenômenos do emaranhamento quântico e a incerteza de Heinsenberg indicando que ocorre uma interação entre universos a esse nível de modo a influir na randômica entrópica do mesmo pois por uma relação percentual o que tem a possibilidade de 1% ocorrer aqui, ocorrerá noutro universo caso o nosso esteja configurado entre os demais 99%. Se o que não acontece aqui acontece noutro universo logo há uma relação entre eles ainda que indireta, ou seja, o caos de todos universos estaria entrelaçados em algum grau.  A relação estatística consiste em indicar a relação caótica do universo com o multiverso a fomentar a ideia de sorte e destino.

    Ao influir no fluxo do tempo e consequentemente do caos podem emergir padrões da configuração de universos a exemplo das sincronicidades o qual determinadas frequências formam não somente padrões no espaço, mas também no tempo. Tais ideias são parte do conjunto de hipóteses da Teoria Ressoante Ondular.
 
    Certa vez um gênio, o britânico Lord Rayleigh, postulou um fenômeno bizarro caso a velocidade do som fosse invariável e fixa, uma espécie de reversão dele seria possível caso superasse sua velocidade de modo que se poderia ver ao contrário. Mais atualmente os cientistas atestam isso não para o som, mas qualquer fenômeno de onda. Isso permitirá o desenvolvimento de câmeras com super visões capazes do que nenhum câmera é capaz uma vez que a luz também é onda, permitindo a Reversão de luz. Como assim postulo que o tempo mesmo como dimensão ele se comporte como ondas isso também seria aplicável ao tempo!
 
    Os cientistas utilizam a luz como paradigma para o tempo e sua possibilidade de viajar através dele, porém, ele apenas é o porteiro, mesmo o tempo lhe dita o ritmo. Creio que a ausência falseabilidade da incerteza de Heinsenberg consiste no fato de que os espaço e tempo são conectados, mas distintos, por isso não se pode identificar a posição e velocidade de uma partícula ao mesmo tempo por seu afastamento nos limites do universo, aqui a nível macro. Similarmente isso pode nutrir aspectos de relação com o Efeito Observador - recentemente comprovado - pois as propriedades da luz se distorcem, de acordo com minha teoria, em tais limites. Ou seja, se o tempo é ondular igualmente fenômenos parecidos seriam observados o qual o prenúncio pode ser percebido, sem que se saiba na fenomenologia quântica, falo da reversão do tempo!

Trecho dos Apêndices de 'Fantasmas do Futuro' de Gerson Avillez.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Conto 'O Poço' na 3ª edição de Litera Livre


O conto 'O Poço' de minha autoria selecionado entre 629 trabalhos para a 3ª edição da revista digital Litera Livre, página 74. Baixe já seu exemplar clicando aqui.